Notícias | Diocese Bragança-Miranda

Ação litúrgico-sacramental em 2012Sex, 01/03/2013 - 00:00

No ano de 2012 celebraram-se na Diocese de Bragança-Miranda:

  • Batismos                           934
  • Confirmações                   850
  • Primeiras Comunhões      756
  • Ordenações ‘Diáconos’     4
  • Matrimónios                       300
  • Exéquias                            1384

A Chancelaria Diocesana

“Espero que a saída de Bento XVI ajude a Igreja a encontrar-se”Qua, 27/02/2013 - 00:00

Em entrevista ao programa Terça à Noite da Renascença, o Sr. Bispo de Bragança-Miranda disse esperar que este gesto de resignação de Bento XVI seja um “gesto profético”, que ajude a Igreja “a reencontrar-se consigo mesma”.

D. José Cordeiro rejeita ainda a ideia de que a Igreja esteja em crise afirmando que “o que pode estar em crise é um paradigma de Igreja, um modelo e o modo como esta igreja se tem apresentado como testemunha do evangelho”.

Novo livro de D. José CordeiroQua, 14/11/2012 - 00:00

Este livro constitui, ao mesmo tempo, uma novidade e uma oportunidade. Um jovem bispo português, especialista reconhecido no campo da Liturgia, assina doze criativas propostas de celebração para o Ano da Fé. Estas propostas traçam o itinerário de uma fé acreditada e reza­da, próxima do ritmo litúrgico e esperançosamente inscrita na vida quotidiana. O uso a fazer delas é aberto: tanto podem ser seguidas integralmente como servir de apoio e inspiração às dinâmicas celebrativas dos diversos grupos e comunidades eclesiais.

O dia de um padre em BragançaQua, 05/09/2012 - 00:00

Com a devida vénia, transcrevemos a reportagem “O dia de um padre em Bragança” da autoria da jornalista Olimpia Mairos, da Rádio Renascença.

«A Renascença acompanhou o dia-a-dia de um padre de Bragança, diocese que vai agora adoptar o esquema das unidades pastorais, para saber como vivem estes homens que se dedicam a Deus e à Igreja.

O acordar é todos os dias à mesma hora pelas 6h da manhã, a missão do Cónego Valentim Bom assim o exige.

A Pietà da CatedralQua, 22/08/2012 - 00:00

A Pietà da Catedral de Bragança

Carregas a nossa humanidade até ao fundo do teu colo

As cidades íngremes por onde passamos, as sirenes empastadas de alarme,

O peso do corpo anoitecido

 

Não há árvore do horto de Deus que ao alto mais

pura se eleve

Mas é doloroso trabalho o do amor em que inteira brilhas

Ó Mãe indefesa como um fogo

 

Passas por nós devagar as mãos protectoras

E o tempo desse amor transparente e íntimo

torna brandas as tempestades em que nos consumámos

 

Páginas