«Desafios para a catequese em tempos de pandemia» | Opinião da Ir. Arminda Oliveira | Diocese Bragança-Miranda

Vivemos um tempo de mudanças profundas para a sociedade, a igreja e a catequese, onde somos chamados a colaborar e renovar a vida da igreja/catequese segundo os critérios do evangelho. Temos consciência clara que é o Espírito que tudo renova e dá vida, sendo nós apenas “instrumentos” da ação de Deus no nosso mundo.

Somos desafiados a uma igreja/catequese de relação, proximidade e encontro com a pessoa de Jesus Cristo, que nos ajude a descobrir sempre mais a alegria e o sentido da vida.

Somos desafiados também a desenvolver cada vez mais a nossa criatividade e abertura ao Espírito, que nos leve à ousadia de construir pontes de proximidade com as famílias, redes de contacto diferentes, adaptados e viáveis à nova evangelização. ´

Para isso propõe-se:

– Um plano de formação para os catequistas (respondendo às necessidades dos mesmos);

– Maior envolvimento da família (oração em família, catequese familiar, etc);

– Vários modelos e propostas de encontro;

– Momentos celebrativos e adaptados com horários flexíveis;

– Maior vivência e expressão da fé adaptado à idade e à etapa que se vive;

– Estratégias de planificação e atuação de uma forma flexível e concretos;

– Tudo isto tendo em conta as normas de segurança que este tempo de pandemia nos exige.

 

Irmã Arminda da Silva Oliveira, Doroteia,
Diretora do Secretariado da Catequese da Diocese de Bragança-Miranda