Oração do Rosário e da Consagração | Santuário de Fátima - 25.03.2020 | Diocese Bragança-Miranda

Como previsto, a oração do Rosário, transmitida pela televisão, rádio e inúmeras plataformas digitais, terá início hoje, às 18.30 horas, na Basílica de Nossa Senhora do Rosário do Santuário de Fátima e será presidida pelo Cardeal D. António Marto, Bispo de Leiria-Fátima e Vice-Presidente da Conferência Episcopal Portuguesa. A seguir à oração, ele fará a renovação da consagração de Portugal e Espanha ao Sagrado Coração de Jesus e ao Imaculado Coração de Maria.

A consagração foi preparada para Portugal e Espanha. Mas, nestes dois dias mais 20 conferências episcopais de todos os continentes aderiram, assim como numerosos fiéis de todo o mundo, a esta oração a partir de Fátima. Essas conferências serão referidas na introdução à oração de consagração e, de forma genérica, na própria oração.

A Reitoria e o Gabinete de Comunicação do Santuário de Fátima, a quem a Conferência Episcopal manifesta profunda gratidão, enviaram aos órgãos de comunicação social vários subsídios para devida preparação, divulgação e acompanhamento da celebração. Nesta situação dramática que estamos a passar devido ao coronavírus Covid-19, procuremos estar em comunhão espiritual, rezando o Rosário segundo os mistérios gozosos e a consagração aos Corações de Jesus e de Maria, em sintonia com as intenções de todo o mundo e em particular do nosso País.

 

25 de Março de 2020, Solenidade da Anunciação do Senhor, 18.30h

Santuário de Fátima – Basílica de Nossa Senhora do Rosário

ORAÇÃO DO ROSÁRIO E DA CONSAGRAÇÃO

 

ORAÇÃO DO ROSÁRIO

Vamos rezar o terço, conforme o pedido insistente de Nossa senhora neste lugar, e concluiremos este momento de oração com a consagração dos nossos países ao Sagrado Coração de Jesus e ao Imaculado Coração de Maria, pedindo o seu auxílio e proteção no momento de tribulação que vivemos atualmente.

Hoje estão unidos a nós cristãos de muitos países do mundo, a quem saudamos.

Neste dia solene, em que a Igreja celebra a Anunciação a Maria de que ela seria a Mãe de Jesus, queremos confiar ao seu coração materno as nossas súplicas, para que as apresente junto de Deus e interceda por nós. Queremos pedir:

- pelas vítimas diretas e indiretas da pandemia que nos atinge;

- pelos profissionais de saúde, incansáveis nos seus esforços por socorrer os doentes;

- pelas autoridades, no seu esforço para encontrar soluções;

- e por todos nós e pelas nossas famílias.

Nesta Basílica de Nossa Senhora do Rosário de Fátima, estão sepultados os santos Francisco e Jacinta Marto, também eles vítimas de uma pandemia. Peçamos igualmente a sua intercessão, especialmente a de Santa Jacinta, de quem celebramos o centenário da sua morte: ela, que experimentou a solidão do hospital nos seus últimos momentos, console com a sua intercessão tantos doentes que, nestes dias e de forma dramática, experimentam a solidão do isolamento a que estão sujeitos.

Meditamos os mistérios gozosos.

Primeiro mistério: a Anunciação do Anjo a Nossa Senhora.

Do Evangelho de S. Lucas:

“Entrando onde ela estava, disse-lhe o Anjo: «Salve, cheia de graça, o Senhor está contigo!» Ela ficou perturbada com estas palavras e pensava que espécie de saudação seria esta. Disse-lhe o Anjo: «Não tenhas medo, Maria, pois encontraste graça junto de Deus. Eis que conceberás no ventre e darás à luz um filho, e chamá-lo-ás com o nome de Jesus!»”. (Lc 1, 28-32)

Este é o mistério que a Igreja, hoje, celebra festivamente: o início do mistério da encarnação. Sempre que vem ao nosso encontro, Deus exorta-nos a vencer o medo e a confiar n’Ele, como Maria.

Neste mistério, peçamos a sua intercessão, para que, no momento de tribulação que experimentamos, não cedamos ao medo que paralisa, mas confiemos no Senhor, que não nos abandona.

 

Segundo mistério: A visita de Nossa Senhora a sua parente Isabel.

Do Evangelho de S. Lucas:

“Por aqueles dias, Maria levantou-se, foi apressadamente para a montanha, para uma cidade de Judá. Entrou em casa de Zacarias e saudou Isabel. ... Isabel ficou cheia do Espírito Santo. Levantando, então, a voz com forte brado, disse: «Bendita és tu entre as mulheres e bendito é o fruto do teu ventre!»”. (Lc 1, 39-42)

Maria é por excelência “portadora de Cristo”, isto é, aquela que se pôs a caminho para levar Jesus a Isabel. Como então, Maria continua hoje a trazer-nos Jesus Cristo e a conduzir-nos continuamente até Ele.

Neste mistério, peçamos por todos os cristãos, para que, com o seu testemunho de atenção aos mais necessitados, sobretudo nestes momentos difíceis, saibam ser, como Maria, “portadores de Cristo” e da sua esperança.

 

Terceiro mistério: O nascimento de Jesus em Belém.

Do Evangelho de S. Lucas:

“Enquanto (Maria e José) estavam (em Belém), cumpriram-se os dias de ela dar à luz. E deu à luz o seu filho primogénito, envolveu-o em panos e reclinou-o numa manjedoura”. (Lc 2, 6-7)

O nascimento de Jesus é revelação do imenso amor de Deus por nós. Porque, em Jesus, Deus assume a nossa condição frágil, Ele conhece os nossos sofrimentos, preocupações e angústias.

Neste mistério, peçamos ao Senhor que aumente a nossa fé e a nossa confiança n’Ele em todos os momentos, mas sobretudo nestes tempos de tribulação.

 

Quarto mistério: a apresentação do Menino Jesus no Templo.

Do Evangelho de S. Lucas:

“Simeão abençoou-os e disse a Maria, sua mãe: «Eis que [este menino] está aqui para a queda e o ressurgir de muitos em Israel e para ser um sinal de contradição – e uma espada trespassará a tua própria alma» – a fim de se revelarem os pensamentos de muitos corações”. (Lc 2, 34-35)

Maria é a “Virgem oferente”, que, no Templo, oferece ao Senhor o seu Filho e se oferece com Ele a Deus (cf. Marialis cultus, n. 20). Mas a oferta da sua vida é marcada pela espada de dor, anunciada por Simeão.

Neste mistério, peçamos a intercessão de Maria para, como ela, fazermos da nossa vida uma oferta agradável a Deus, sem termos medo do sofrimento que daí pode advir.

 

Quinto mistério: A perda e o encontro do Menino Jesus no Templo, entre os doutores.

Do Evangelho de S. Lucas:

“Sua mãe disse a Jesus: «Filho, porque nos fizeste isto? Eis que teu pai e eu estávamos aflitos à tua procura!» Ele disse-lhes, então: «Porque me procuráveis? Não sabíeis que é necessário que eu esteja na casa de meu Pai?» Mas eles não compreenderam as palavras que lhes disse”. (Lc2, 48-50)

Como Maria e José, também nós, em tantas ocasiões, sobretudo no meio das dificuldades, não compreendemos o que Jesus nos diz ou estamos pouco recetivos às suas palavras.

Neste mistério, peçamos-lhe, por intercessão de Maria, a graça da disponibilidade para a sua vontade, mesmo quando a não compreendemos totalmente.

 

3 Avé-Marias finais

ORAÇÃO DA CONSAGRAÇÃO

Introdução:

Caros Irmãos e Irmãs

Ao terminarmos este este momento de oração, Sua Eminência, o Senhor Cardeal D. António Marto, em nome dos bispos de Portugal e Espanha, renova o ato de consagração ao Sagrado Coração de Jesus e ao Imaculado Coração de Maria.

Quiseram unir-se a este ato de consagração as conferências episcopais de outros países.

Mas além das Conferências episcopais destes países, muitos outros grupos e fiéis de todo o mundo manifestaram o desejo de se associarem a este ato, que acompanharemos, agora, fervorosamente.

 

Consagração da Igreja em Portugal e Espanha

ao Sagrado Coração de Jesus e ao Imaculado Coração de Maria

Santuário de Fátima, Basílica de Nossa Senhora do Rosário, 25 de março de 2020

 

Coração de Jesus Cristo, médico das almas,

Filho amado e rosto da misericórdia do Pai,

a Igreja peregrina sobre a terra,

em Portugal e Espanha, nações que tuas são,

olha para o teu lado aberto, sua fonte de salvação, e suplica:

— nesta singular hora de sofrimento,

assiste a tua Igreja,

inspira os governantes das nações,

ouve os pobres e os aflitos,

exalta os humildes e os oprimidos,

cura os doentes e os pecadores,

levanta os abatidos e os desanimados,

liberta os cativos e os prisioneiros

e livra-nos da pandemia que nos atinge.

 

Coração de Jesus Cristo, médico das almas,

elevado no alto da Cruze tocado pelos dedos do discípulo no íntimo do cenáculo,

a Igreja peregrina sobre a terra,

em Portugal e Espanha, nações que tuas são,

contempla-Te como imagem do abraço do Pai à humanidade,

esse abraço que, no Espírito do Amor, queremos dar uns aos outros

segundo o teu mandato no lava-pés, e suplica:

— nesta singular hora de sofrimento,

ampara as crianças, os anciãos e os mais vulneráveis,

conforta os médicos, os enfermeiros, os profissionais de saúde e os voluntários cuidadores,

fortalece as famílias e reforça-nos na cidadania e na solidariedade,

sê a luz dos moribundos,

acolhe no teu reino os defuntos,

afasta de nós todo o mal

e livra-nos da pandemia que nos atinge.

 

Coração de Jesus Cristo, médico das almas e Filho da Virgem Santa Maria,

pelo Coração de tua Mãe,

a quem se entrega a Igreja peregrina sobre a terra,

em Portugal e Espanha, nações que, desde há séculos, suas são,

e em tantos outros países,

aceita a consagração da tua Igreja.

Ao consagrar-se ao teu Sagrado Coração,

entrega-se a Igreja à guarda do Coração Imaculado de Maria,

configurado pela luz da tua Páscoa e aqui revelado a três crianças

como refúgio e caminho que ao teu coração conduz.

Seja a Virgem Santa Maria, a Senhora do Rosário de Fátima,

a Saúde dos Enfermos e o Refúgio dos teus discípulos gerados junto à Cruz do teu amor.

Seja o Imaculado Coração de Maria, a quem nos entregamos, connosco a dizer:

— nesta singular hora de sofrimento,

acolhe os que perecem,

dá alento aos que a Ti se consagram

e renova o universo e a humanidade.

 

Ámen.

 

---------------

Fotografia: Irene Rodrigues/SDCS.