Bragança: Fundação Betânia desafiou IPSS's a “Dar Voz à Esperança” | Diocese Bragança-Miranda

A Fundação Betânia – Centro Apostólico de Acolhimento e Formação, em Bragança, desafiou todas as Instituições Particulares de Solidariedade Social (IPSS) do concelho de Bragança a criar um hino de esperança e solidariedade.

«Dar Voz à Esperança» nasceu do atual contexto «em que toda a comunidade, mas especialmente a população mais vulnerável, como os idosos, se sentem privados dos afetos das famílias e dos amigos. Falta a presença, falta o abraço, falta o carinho dos que lhes são mais queridos», salienta Paula Pimentel.

De acordo com a diretora de serviços da Fundação Betânia, os cuidadores têm tido responsabilidades multiplicadas, «vivem debaixo do espectro de um vírus, que tantas vezes ultrapassa as fortes barreiras de segurança e cuidado erguidas, que foge ao controle, e cada utente infetado é uma batalha perdida que gera um enorme sentimento de frustração. A música tem efeitos terapêuticos e a mensagem que pode transmitir pode ser veículo para o aconchego e o carinho que na atualidade não podem ser partilhados no plano físico, dos afetos, dos beijos e dos abraços», frisa.

9 IPSS ‘s (APADI - Associação de Pais e Amigos do Diminuído Intelectual; ASCUDT - Associação Sócio Cultural dos Deficientes de Trás-os-Montes; Centro Social Paroquial de Santo António de Coelhoso; Centro Social Paroquial Nossa Senhora da Assunção; Centro Social Paroquial de Izeda; Centro Social Paroquial dos Santos Mártires; Santa Casa da Misericórdia de Bragança; Obra Kolping da Diocese de Bragança-Miranda e Fundação Betânia) aceitaram o desafio de transmitir uma forte mensagem de esperança e solidariedade, e de conseguir unir todos num abraço musical.

O Hino está disponível no Youtube e contou também com as preciosas colaborações de D. José Cordeiro, bispo da Diocese, de Hernâni Dias, Presidente da Câmara Municipal e de Paulo Afonso, da Rádio Brigantia.

A Fundação Betânia tem como missão acolher e apoiar pessoas idosas, onde a procura da inovação e diversidade de serviços é apanágio, tendo em vista a promoção da autonomia das pessoas e o desenvolvimento local. Conta com as respostas sociais de Estrutura Residencial para Pessoas Idosas, Serviço de Apoio Domiciliário e de Centro de Dia, dando apoio diário a mais de cem pessoas idosas.

 

Texto/fotografia: BLR/SDCS.