Beijar a Cruz | Notas para a adoração da Cruz | Diocese Bragança-Miranda

Notas para a adoração da Cruz

O Cerimonial dos Bispos diz assim: «Para a adoração da Cruz, vai primeiro o Bispo, sem mitra, sem casula e, se lhe parecer bem, sem sapatos, de cabeça descoberta. Ajoelha diante da Cruz, beija-a, e retira-se para a cátedra, retoma o calçado e a casula, e senta-se, sem mitra. A seguir ao Bispo, vão os diáconos, depois o clero e os fiéis. Vão passando em forma de procissão, fazem saudação à Cruz com uma simples genuflexão ou com outro sinal adequado, de acordo com os costumes de cada região, por ex., beijando a Cruz» (n. 322).

Parafraseando uma inscrição japonesa de homenagem aos “cristãos escondidos” em Sotame, que diz “apesar de tanto sofrimento, Senhor, o mar continua tão azul”, também nós dizemos aqui entre os montes: “apesar de tanto sofrimento, Senhor, o céu continua tão azul”.

Quanta violência doméstica na nossa cidade e na nossa Diocese! Quantos maus tratos a crianças e a idosos! Quantos jovens à busca de emprego e de felicidade! Quanta pobreza envergonhada! Quantos insultos e intrigas! Quantos especialistas da maledicência! Quanta necessidade material e espiritual! Quantas pessoas e famílias feridas! Quantos lutos mal vividos! Quantos perdas de relação e amizade malcuradas! Quanta angústia sentida!

Temos que ter a experiência da desilusão, do desencanto, para poder celebrar a Páscoa.

Para adorar é preciso humildade.

«Se Deus é connosco, somos a maioria» (S. João Bosco)

Às vezes com o medo de sofrer, não amamos.

 

1. As sete palavras de Jesus Cristo na Cruz

  • «Pai, perdoa-lhes, porque não sabem o que fazem» (Lc 23,34);
  • «Ámen te digo: hoje estarás comigo no paraíso» (Lc 23, 43);
  • «Mulher, eis o teu filho! Eis a tua Mãe» (Jo 19, 26-27»;
  • «Meu Deus, meu Deus, porque me abandonaste?» (Mc 15, 34; Mt 27, 46 – Sl 22, 2);
  • «Tenho sede» (Jo 19, 28);
  • «Está consumado» (Jo 19, 30);
  • «Pai, em tuas mãos entrego o meu espírito» (Lc 23,46).

-------------------------------------------

Fotografia: Bruno Luís Rodrigues/Secretariado Diocesano das Comunicações Sociais